12 de maio de 2010

Pavlova (da Nigella)



Descobri a Nigella há pouco tempo, mas já sou sua fã.
Mais ainda do que os pratos, seduz-me a maneira desenrascada como cozinha, o gostar de lamber os restos que ficam nas taças, o gostar de comer, a simplicidade com que apresenta as receitas, sem aquelas paneleirices de enfeitar os pratos, que agora está tão na moda.

Uma das receitas dela que anotei para fazer (entre muitas outras), foi a Pavlova.
Nunca tinha feito e a primeira que fiz saiu uma "esturricova" e foi direitinha para o lixo (e fiquei com a casa toda a cheirar a esturro até hoje).
Hoje voltei a tentar e desta vez saiu direitinho...
O segredo está no forno, que deve estar pouco quente (90º no meu, diferente dos 150º da receita, mas cada um tem de achar a temperatura correcta).
Vamos então à receita:

Ingredientes:

4 claras
1 pitada de sal
250 gramas de açucar refinado (usei açúcar fino da RAR)
2 colheres de chá de amido de milho (Maizena)
1 colher de chá de vinagre de vinho branco (não tinha vinagre, usei limão)
1 colher de chá de extrato de baunilha

Cobertura:

300 ml natas (usei apenas 1 embalagem de 200g)
10 maracujás (pode ser substituido por manga, banana, kiwi, morango, pêssego, ou por frutas misturadas - eu usei morangos)

Preparação:

Pré-aquecer o forno a 180º.
Desenhar um círculo de 20 cm em papel vegetal para servir de guia.
Bater as claras e o sal até ficarem em ponto de suspiro.
Acrescentar o açúcar, um terço de cada vez, até que fique firme e brilhante.

Pôr a seguir a maizena, o vinagre e a baunilha e misturar.
Colocar o papel vegetal num tabuleiro e colocar o preparado dentro do círculo desenhado, usando para isso uma espátula.
(Nesta parte há muitas receitas que mandam fazer uma parte mais abaulada no centro para depois acomodar o chantilly e os frutos, mas a Nigella põe o preparadodireitinho e depois, quando o tira do forno, vira-o e põe o creme na parte que era o fundo - como quando desenformamos um bolo - e foi também assim que eu fiz).

Colocar no forno e reduzir imediatamente a temperatura a 150º (eu reduzi para 90º) e assar durante 1 hora e 15 minutos.
Desligar o forno e deixar a Pavlova dentro até arrefecer completamente.
Colocá-la depois no prato de servir, cobrir com o chantilly e depois colocar as frutas, mais ou menos artisticamente conforme o jeito de cada um (no que eu vi fazer, a Nigella limitou-se a abrir uns maracujás e a despejá-los lá para cima...)

Notas:

Este doce é bom e muito fácil de fazer (a receita parece grande, mas é o paleio que enche) e é óptima para aproveitar claras.
Quero também agradecer à Princesa Santa Joana, pois se não fosse ela eu não teria tido este dia de folga. E já agora, agradeço ao Papa a folga de amanhã...)

15 comentários:

Vânia Jesus-Antígona disse...

Não conheço essa autora...e também nunca comi pavlova, mas que tem um aspecto delicioso, lá isso tem!

beijinhos

Kristininha disse...

Nunca fiz, mas ando atraida por este dito "pavlova"!!! tem um aspecto lindo!

Débora disse...

Também nunca comi nem fiz...mas tenho muita curiosidade em fazer uma...quem sabe rs...bjks

Abobrinhas na Cozinha disse...

Hummm, nunca comi, mas me deu água na boca! Deve ser delicioso!
Receita anotada!
Beijos,
Thais

Paulinha disse...

Nunca comi pavlova mas fiquei com vontade de experimentar!! E se é uma receita da Nigella está aprovadissimo :)

Beijinhos!! ficou lindooo

Anjo-de-Mel disse...

Uau, c morangos já me cativa mais :) Ainda ñ tive oportunidade de ver o prog dela, mas vou tentar brevemente!

Richie disse...

hahahahahaha adorei a 'esturricova'..kkkkk. Essa outra ficou perfeita, hein?!
Pavlova é leve que até voa, adoro!

lili disse...

tambem já fiz e adorei!!
ficou com excelente aspecto!
bjs

ameixa seca disse...

Merengue nunca sai do meu forno, gosto muito mas a pavlova de certeza que ia sair outra coisa :)

fénix renascida disse...

Li o teu post sobre o psicólogo Eduardo Sá no teu outro blog (Fábulas). Estou como tu...
Como há muito tempo que lá não vais (ainda assim, fiz-me seguidora), resolvi seguir este e deixar aqui as minhas quatro petições, sendo que uma ou duas vão contra aquilo que o tão "prestigiado" psicólogo defende:

Peço a vossa atenção para 4 petições que eu tenho online, que vêem um pouco nesta linha.
Embora não pareça, defendo acima de tudo a família, e acho que qualquer decisão que facilite o divórcio não é, seguramente, benvinda! Uma decisão pela guarda compartilhada, independentemente da vontade e do entendimento que tenham os pais, serve somente para tornar ainda mais supérfluas e fugazes as relações, e não vejo como alguém que não consegue manter uma união poderá educar os filhos que dela nasceram!

http://www.peticaopublica.com/?pi=P2010N1300
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N575
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2010N1902
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N134

p.s Evidentemente, o homem não diz apenas asneiras -mau seria- pelo que algumas vezes eu até concordo com ele.

Bombom disse...

Assim à primeira vista parece fácil e foi muito útil a chamada de atenção para a temperatura do forno.
É que tanto os suspiros como o merengue precisam de temperatura moderada para secarem melhor sem queimar. O recheio com frutas torna esta Pavlova muito fresca e agradável. Obrigada por partilhares.
Bjs. Bombom

Olga disse...

Que maravilha.

são33 disse...

gostei desta pavlova ficou mesmo linda... bjs

M. disse...

Olá! Vi hoje a receita na Nigella (que também descobri recentemente!) e achei uma maravilha!A tua ficou fabulosa!
Bjs e bom domingo!
Madalena

Isa Duarte disse...

Ficou linda esta pavlova. Vi o episodio na tv em que ela a fazia e o filho foi por detrás e comeu á mãozada lololol. Fiquei de olho na receita, e ficou linda a tua!

Tarte de feijão

Ingredientes: uma base de massa folhada 1 lata de feijão branco das pequenas 2 ovos inteiros 4 gemas 50 g de coco ralado 200 g d...