30 de dezembro de 2008

Rabanadas douradas


Mais um doce típico desta época, e delicioso!

Ingredientes:

300 g de açúcar
1 pão tipo cacete
2,5 dl de água
1 ovo
6 gemas
1 pau de canela
1 casca de laranja
canela em pó qb

Preparação:

Cortar o pão em fatias com a espessura de um dedo.
Levar ao lume um tacho com o açúcar, a água, o pau de canela e a casca da laranja, e deixar ferver 8 minutos.

Bater bem as gemas com o ovo numa tigela.
Passar as fatias de pão por esta mistura e juntar ao tacho.
Cozinhar rapidamente as rodelas de pão, de ambos os lados, para cozer as gemas.

Retirar as rabanadas para um prato e deixar arrefecer.
Servir polvilhado com canela em pó.
Pode-se também regar com a calda que sobrar.

Receita da Teleculinária Gold n.º 27.

28 de dezembro de 2008

Pudim de Vinho do Porto

Ingredientes:

200 gr. de açúcar;
6 ovos;
0,5 l de leite;
1 cálice de Vinho do Porto branco;
raspa de 2 laranjas.

Caramelo:
8 c. de açúcar.

Preparação:

Misturam-se os ovos inteiros com o açúcar até ficar um creme homogéneo.
Depois adiciona-se o leite e mexe-se bem.
Acrescenta-se o Vinho do Porto, raspa-se a casca de 2 laranjas e mistura-se tudo muito bem.
Entretanto, numa forma de pudim, leva-se 8 c. de açúcar ao lume até fazer ponto de caramelo (cuidado para não deixar queimar).
Depois de o caramelo arrefecer, verte-se o creme de pudim para a forma e leva-se a cozer, em banho-maria, numa panela de pressão, com 1 litro de água, durante cerca de 30 minutos.
Deixa-se arrefecer e desenforma-se.
Deve servir-se frio.

Boas entradas :)

24 de dezembro de 2008

Bilharacos - a foto


quando tiver um tempinho venho aqui fazer uma reportagem mais completa...
por enquanto, fiquem com o resultado final.

22 de dezembro de 2008

Bilharacos

A pedido de várias famílias (cof, cof, cof...) aqui fica a minha famosa receita de bilharacos.
Nem a devia dar assim em público, pois lá se vai o meu exclusivo de dona dos melhores bilharacos do mundo...
Mas pronto, eu não sou nada invejosa e não me importo de a partilhar!

Como os comecei a fazer hoje, ainda não há foto, só amanhã!

para uma abóbora média (cerca de 3 quilos):
1 pitada de sal
raspa e sumo de 1 laranja grande
1 cálice de vinho do Porto
3 ovos
4 colheres de sopa de açúcar
farinha qb (eu uso cerca de 4 colheres)

Cozer a abóbora temperada com uma pitada de sal.
Deixar a abóbora a escorrer num pano, de preferência de um dia para o outro (é onde a minha está neste momento!)

Depois de bem escorrida (eu deixo-a num pano e depois aperto bem o pano até a abóbora perder toda a água) põe-se numa bacia. Mistura-se a raspa e o sumo da laranja, o vinho do Porto e os ovos inetiros. Amassa-se bem com as mãos.
Depois vai-se deitando farinha até obter uma massa consistente, mas não grossa.
Junta-se ainda o açúcar.
Deixa-se levedar 1 ou 2 horas.
Depois fazem-se uns bolinhos, com 2 colheres de sopa, como quem faz pastéis de bacalhau. Se não tiverem paciência, podem fazer simplesmente colheradas, que despejam no óleo bem quente.
Depois de fritos, polvilham-se com canela e açúcar.

Em vez de polvilhar, eu costumo regá-los com esta calda:
10 colheres de sopa de açúcar
10 colheres de sopa de água
casca de 1 laranja (cortada fininha)

Põe-se tudo a ferver durante 4 minutos e regam-se os bilharacos com esta calda.
(neste caso, é melhor pôr os bilharcos numa taça mais funda).
E pronto!
É um doce típico de Natal, que como desde que me conheço por gente.
Já experimentei muitas qualidades de bilharacos, mas os meus são mesmo os meus preferidos.
Amanhã vou fazê-los e depois publico a foto.

Ah, é verdade!

FELIZ NATAL!!

14 de dezembro de 2008

Ambrosia


Esta foi a receita que escolhi para o intercâmbio culinário.
Trata-se de um doce (só podia!!). Este doce, tanto quanto pude apurar nas minhas pesquisas, é tradicional de Minas Gerais, região sul do Brasil, onde faz parte de todos os almoços ou jantares festivos.
No entanto, a sua origem mais remota é portuguesa...

Na Wikipédia, podemos ler o seguinte:

Ambrosia, o manjar dos deuses do Olimpo, era um doce com divinal sabor, segundo a mitologia grega. Era tão poderoso que se um mortal, a quem era vedado, a comesse, ganharia a imortalidade. Conta a história que, quando os deuses o ofereciam a algum humano, este, ao experimentá-lo, sentia uma sensação de extrema felicidade. O nome Ambrósio, que vem da mesma raiz, significa divino e imortal.

Eis então a receita tal e qual como a minha parceira, a Vivian, me deu:

(essa receita é a preferida de meu marido)
1 litro(s) de leite
300 gr de açúcar
1 colher(es) (sopa) de doce de leite
quanto baste de cravo-da-índia
quanto baste de canela-da-china em pó
10 unidade(s) de ovo inteiro(s)

Quebre os ovos, passe pela peneira duas vezes e reserve.
Ferva o leite junto com o açúcar e o doce de leite.
Coloque o cravo e a canela.
Quando estiver em ponto de fio mais grosso, coloque os ovos e não mexa mais. Deixe ferver no fogo baixo por 30 minutos.
Desligue e deixe esfriar.
Coloque em compoteiras e sirva gelado.

9 de dezembro de 2008

Molotof no microondas


Ingredientes:

6 ovos
6 colheres de sopa de açúcar
6 colheres de sopa de água
2 gotas de sumo de limão
caramelo qb

Preparação:

Bater as claras em castelo bem firme.
Juntar as gotas de limão e o açúcar e bater mais um pouco.
Despejar para uma forma de plástico ou silicone, bem barrada de caramelo.

Levar ao microondas por 4 minutos.
Desligar o microondas e deixar lá ficar o pudim até arrefecer um pouco (uns 10 minutos).
Retirar e desenformar.

Cobrir com o creme de ovos moles que se faz assim:
Levar o açúcar com a água ao lume e deixar ferver por 3 minutos.
Juntar as gemas bem batidas (e coadas) e levar ao lume mais um pouco até ficar com a consistência desejada.
(receita da Elsa)

1 de dezembro de 2008

Ensopadinhos




Ingredientes:

450 g de açúcar
140 g de farinha
100 g de margarina
4 ovos
sumo de 2 laranjas grandes
1 colher de chá bem cheia de fermento
margarina para untar
farinha para polvilhar

Preparação:

Bater bem a margarina com 250 g de açúcar. Juntar os ovos um a um, batendo sempre.
Adicionar depois a farinha peneirada com o fermento e bater mais um pouco.
Verter este preparado para um tabuleiro untado e forrado com papel vegetal e passado por farinha.
Levar ao forno a 180º durante cerca de 15 minutos, ou menos.
Retirar do forno e reservar.

Deitar o restante açúcar para um tacho. Juntar o sumo das laranjas e levar ao lume até obter ponto de pérola.
Regar o bolo com esta calda, deixar arrefecer e cortá-lo em quadrados.
Depois desenforma-se com cuidado, colocando num prato e decorando a gosto.

Notas:
Eu não percebo nada de pontos de açúcar, deixei ferver a calda durante 3 minutos e ficou bom.
Esta receita não diz, mas deve ficar boa se usarmos também a raspa das laranjas na massa.
Receita da Teleculinária n.º 1468.

Cheesecake de Chocolate Negro

(este é para os verdadeiros amantes de cacau) Ingredientes: base : 150g de biscoito digestivo; 30g de cacau em pó ( magro ); 1/...